Gestão da qualidade na construção civil

Gestão da qualidade na construção civil

Se você acessou esse texto, é bem provável que já tenha ouvido falar sobre gestão da qualidade. Mas você pode estar se perguntando: “Qual a relação da gestão da qualidade com a construção civil? ” ou “Qual a importância da gestão da qualidade na construção civil? ”. Vou te dar de antemão uma informação de ouro: A gestão da qualidade gera aumento de produtividade. Mas antes de te contar um pouco mais sobre o assunto,vou te contar um pouquinho sobre a história da gestão da qualidade e explicar alguns termos como SGQ e TQC, para que você não falhe numa conversa sobre gestão da qualidade.

Um breve histórico…

Alguns autores dizem que a preocupação com a qualidade começou na década de 20 (do século XX), com Walter A. Shewhart, estatístico norte-americano criador do famoso Ciclo PDCA (Plan, Do, Check e Action), ferramenta essencial de gestão da qualidade.

A sigla GQT (Gestão da Qualidade Total), ou TQC (Total Quality Control), designa o modelo gerencial introduzido no Japão do pós-guerra, para controlar e melhorar continuamente todos os processos e o desempenho global do sistema, a fim de atender e superar as expectativas dos clientes. Você sabia que o aumento da qualidade foi o principal componente para tornar os produtos japoneses mais competitivos internacionalmente? Fato muito importante!

A partir da década de 80 o assunto ganhou grande visibilidade e a GQT começou a ser implantada no Brasil.

A Gestão da Qualidade hoje

Hoje a GQT representa uma opção para a reorientação gerencial das organizações, implicando em uma mudança de postura e uma forma moderna de entender o sucesso. Para a sua aplicação, as empresas implementam um Sistema de Gestão da Qualidade, o famoso SGQ, para garantir sua vantagem competitiva. Alguns de seus pontos básicos são:

  • Foco no cliente;
  • Trabalho em equipe permeando toda a organização;
  • Decisões baseadas em fatos e dados;
  • Busca constante da solução de problemas e diminuição de erros.

A qualidade passou a ser a ser discutida como ferramenta estratégica do negócio e o mercado passou a valorizar quem a possui e a punir quem não possui.

O que é a ISO 9001?

Em 1946, pós Segunda Guerra Mundial, ocorreu no Instituto de Engenheiros Civis, em Londres, uma reunião realizada entre empresários representantes de 25 países. Nela, os participantes decidiram criar uma organização que facilitasse a coordenação e a unificação internacional de normas industriais, a ISO (International Organization for Standardization). Essa organização já publicou mais de 22.812 padrões internacionais, entre elas a ISO 9001, que estabelece os critérios para um sistema de gestão da qualidade e é certificável.

A ISO 9001 é baseada na ideia de melhoria contínua e foca principalmente na obtenção de processos eficazes e clientes satisfeitos. Ela é base fundamental para o avanço da qualidade e, consequentemente, da gestão empresarial.

Mas o que qualidade e ISO 9001 têm a ver com construção civil?

Como contei anteriormente, o conceito de Gestão da Qualidade Total começou a ser mais difundido no Brasil a partir da década de 80. Mas foi nos anos 90 que o setor da construção civil decidiu aplicá-lo com maior ênfase, principalmente depois da a criação do PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat) em 1998 pelo Governo Federal. Esse programa tinha o objetivo de melhorar a qualidade e a produtividade das organizações brasileiras que estão ligadas ao setor. Muitas empresas decidiram adotá-lo por ele ser premissa para participação nos programas do Governo Federal como o MCMV (Minha Casa Minha Vida) e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Nesse contexto, empresas construtoras se viram obrigadas a evoluir de uma situação em que a qualidade era negligenciada para outra situação: adotar posturas de “prevenção a erro e não conformidades”. Em alguns casos, a qualidade passou então para uma nova dimensão: a de compor a visão estratégica das empresas.

Essas empresas começaram a sentir também a necessidade de comunicar aos seus clientes e ao mercado a adequação de seu sistema de qualidade às normas de referência. Isso as levou a tentar conseguir certificações, como a ISO 9001.

Além de seguir normas técnicas do setor da construção civil, adotar padrões de qualidade ganhou um novo e altíssimo patamar: deixou de ser um diferencial e se tornou exigência do mercado.

A importância do SGQ na Construção Civil

A página oficial da PBQP-H aponta alguns benefícios de um programa de qualidade na construção civil, como: moradia e infraestrutura urbana de melhor qualidade; redução do custo com melhoria da qualidade; aumento da produtividade; qualificação de recursos humanos; modernização tecnológica e gerencial; defesa do consumidor e satisfação do cliente. Essa listagem de benefícios já evidencia a importância do SGQ.

Segundo dados da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), a curva do PIB (Produto Interno Bruto) Nacional é sempre puxada pela curva do PIB da Construção. Assim, é possível analisar a importância do SGQ na construção civil também sob o ponto de vista econômico. Perceba aí, a implementação desse tipo de sistema pode tornar as empresas de construção civil mais competitivas no mercado e, consequentemente, aumentar o seu PIB e o PIB Nacional.

Ainda não achou o suficiente? Deixo aqui mais uma listagem de algumas vantagens de se implementar o SGQ na construção civil:

  • Estabilidade e previsibilidade propiciadas;
  • Redução da heterogeneidade de resultados,
  • Possibilidade de mapeamento de erros, tomada de decisões baseadas em fatos e dados e implementação de ações de melhoria;
  • Padronização dos procedimentos, que se tornam “propriedade intelectual” das empresas;
  • Controle de processos, que possibilita a redução do retrabalho e do desperdício de materiais.
  • Clara definição das responsabilidades dos profissionais, melhorando o fluxo de informações e descentralização na tomada de decisões.
  • Criação de novas formas de racionalização da produção.

Se depois de ler isso tudo você ainda não se convenceu da importância da gestão da qualidade para a construção civil, trago o fato que pode brilhar seus olhos. Vicente Falconi, em seu famoso livro “TQC Controle da Qualidade Total (no estilo japonês)” cita Deming afirmando que a produtividade é aumentada pela melhoria da qualidade e esse fato é de domínio de uma seleta minoria. Você agora é parte dessa seleta minoria!

No contexto da construção civil, a produtividade é um fator crucial! Você deve saber que o cumprimento de prazos traz inúmeros benefícios, como:

Se você atua no meio da construção civil, provavlemnte já foi cobrado de alguma forma com relação à produtividade, não é mesmo? Então você entende do que estou falando… Portanto, a melhoria da qualidade, ao aumentar a produtividade, só traz ganhos.

Dica de ouro

Se você pretende implementar um SGQ em sua empresa, há muitas ferramentas que podem te ajudar. Deixo aqui listadas algumas: Ciclo PDCA, Six Sigma, 5S, Diagrama de Ishikawa, Diagrama de Pareto e Análise SWOT. Procure conhecê-las um pouco mais e implementá-las.

Desafios

Se você chegou até aqui pode estar pensando: “É, na teoria é tudo lindo, mas como aplicar? ”. Não vou te iludir dizendo que é fácil implementar um SGQ e buscar a melhoria contínua na construção civil. Sabemos que na maioria dos casos esse setor conta com uma mão de obra de baixa instrução, dificultando a adoção de algumas práticas. Além disso, motivar equipes para que contribuam com a qualidade não é nada fácil.

Agora pense em determinados contextos, como as empresas que executam fundações profundas, uma área tão complexa da geotecnia e que envolve subcontratações. Como assim? – Construtoras, por exemplo, contratam empresas de fundações para executarem apenas essa etapa da obra, e ainda contam com fornecimento de materiais por terceiros. Nesses casos, é mais difícil ainda ter uma inter-relação de todos esses envolvidos para que um SGQ funcione bem, principalmente quando a iniciativa parte do prestador de serviços (no caso, a empresa de fundações) e não do cliente.

Mas implementar um SGQ não é impossível e traz incontáveis vantagens, já mostradas anteriormente. Diversas empresas no Brasil vêm trabalhando por isso, inclusive empresas de fundações, que foram citadas como exemplo desafiador acima.

Portanto, se você pensa em implementar um SGQ na sua empresa, não desista no primeiro desafio. Muitos virão, mas os resultados a longo prazo serão excepcionais!

Escrito por: Mariana Tertuliano dos Santos – Engenheira Civil